Rebel Promo: participe e concorra a uma Abbey Dawn!

18 dez Rebel Promo: participe e concorra a uma Abbey Dawn!

Então é Natal, e o que você fez?

Não sei vocês, mas a gente deu bastante. Bastante prêmio, tá? Demos singles, autógrafos, álbuns… E pra encerrar o ano com chave de ouro, e comemorar também o retorno da Abbey Dawn, iremos premiar um dos nossos seguidores com uma Rockin’ Rebel Flag Tee, camiseta que está na nova coleção da marca.

Para participar e concorrer ao prêmio, é simples: escolha uma música da Avril Lavigne de sua preferência e crie um conto baseado na letra da música escolhida por você. Nos envie o seu texto por inbox ou dm em nossas redes sociais, ou para nosso e-mail contato@avrilbandaidsbrasil.com, até o dia 27 de dezembro.

O vencedor será escolhido por nossa equipe e será anunciado no dia 30 de dezembro em nossas redes sociais. Não, dessa vez não é sorte! O único critério que utilizaremos para selecionar o melhor conto será a criatividade do autor, e isso a gente sabe que vocês têm de sobra!

1. O conto deverá ter, no máximo, 15 linhas. Devido aos inúmeros pedidos, decidimos que não haverá mais limite de linhas.

2. Ao enviar o seu texto, não esqueça de colocar também os seguintes dados: nome completo, idade, cidade/estado e, claro, o nome da música que serviu de inspiração para o seu conto.

3. As estórias que não possuam nenhuma relação com a música escolhida pelos seus autores serão desclassificadas.

4. Ao enviar o seu texto, você automaticamente dá ao Avril Bandaids Brasil plenos direitos sobre o material, que poderá ser publicado no site e nas redes sociais, com os devidos créditos ao autor.

As promoções e concursos que fazemos são a nossa forma de retribuir todo o carinho e companhia de vocês ao longo de todo esse ano em nossas redes sociais e também aqui no site. Então, muito obrigada a todos pelo apoio de sempre e, aos participantes, desejamos muita inspiração e criatividade!

RESULTADO

Betina de Oliveira Juliano, 14 anos
Ourinhos – São Paulo
Música escolhida: Tomorrow

ESCLARECIMENTO

O resultado final do nosso concurso foi divulgado na noite do dia 30 de dezembro de 2015, em conformidade com o que havíamos informado quando iniciamos a promoção.

No dia 3 de janeiro, entramos em contato com a autora do conto escolhido por nós como vencedor, Betina Araújo, solicitando os dados necessários para envio do prêmio, e estipulamos como data final para que ela se manifestasse o dia 9 de janeiro, o que infelizmente não aconteceu: só recebemos a resposta da vencedora na segunda-feira, dia 11 de janeiro.

Feliz ou infelizmente, precisamos ser coerentes com as regras que criamos e, por esta razão, não tendo Betina respondido nossa mensagem em tempo hábil, o prêmio irá agora para o conto que, para nós, ficou em segundo lugar. Segue abaixo o nome do novo vencedor, que terá até o dia 19/01 para nos encaminhar mensagem informando endereço completo para o envio do prêmio.

 RESULTADO

Fernanda Ferreira, 26 anos
Fortaleza – Ceará
Música escolhida: Give You What You Like

LEIA O CONTO

Acordei pela manhã com a claridade da luz do sol invadindo meu quarto, semicerrei os olhos um pouco incomodada com a dor de cabeça que também estava sentindo. Sentei na cama, estava só de calcinha. Varri meus olhos no chão do quarto e vi as várias garrafas de vodca no chão, não tinha muito tempo para me preocupar em arrumar nada.

Levantei e passei por entre a bagunça de garrafas e roupas no chão em direção ao banheiro, tomei banho para curar um pouco do mal estar que também estava sentindo. Saí nua do banho, cobri meu cabelo com a toalha enrolando-a na cabeça. Acendi um cigarro e contei os poucos dólares que tirei da bolsa, não era muito, precisava de mais. Minha última noite não tinha sido das melhores.

Não tinha trabalho fixo, vivia fazendo bicos quando esses apareciam, não tinha grana o suficiente para me manter, então, decidi entrar de cabeça em outro “negócio”. Nunca pensei em algo assim, transar por dinheiro não parecia fácil, resolvi arriscar. E com a ajuda de uma amiga resolvi entrar nessa vida. No início foi difícil, confesso que depois me acostumei e até gostei. Havia clientes muito generosos, mas confesso também que outros eu queria nunca ter encontrado na vida. Atendia tanto homens quanto mulheres, a maioria dos homens era casado e vez ou outra me encontrava só para conversar e desabafar, também rolava sexo no final… Quase sempre. As mulheres, algumas mais corajosas, procuravam meus serviços mais para saírem da rotina. Era divertido… Era.

Me sentia vazia, sentia falta de alguém para dividir meu medos e inseguranças. Muitas foram as vezes que eu quis me sentir amada. Para alguns eu era apenas um objeto de desejo, que seria pago no final depois de satisfazê-los. Comecei a beber mais que o normal. Comecei a imaginar como minha vida seria diferente daquilo, pensei em desistir mas era tarde demais. Depois que se entra numa vida como a minha, é difícil recomeçar.

Meu celular começou a tocar me tirando de meus pensamentos…

[NOVA MENSAGEM]

Quero me encontrar com você outra vez, no mesmo lugar. Ainda sinto seu gosto da noite passada.

Confesso que adorei ler aquela mensagem, e um sorriso de canto se formou em meu rosto. Dei uma tragada forte em meu cigarro e soltei o vapor por entre a boca, iria me preparar para o que viria.

Já era noite, estava me arrumando para o “encontro” com o mesmo cliente que quer repetir a dose do meu corpo tão desejado. Confesso que eu me sentia sim muito gostosa. Meus olhos verdes azulados, cabelos loiros e lisos compridos até a cintura, uma boca vermelha e lábios finos, mas gostosos na medida. Nos olhos, delineador preto era minha característica mais marcante.

Vesti uma saia de couro preta, uma blusa com o nome ROCK N ROLL na estampa. Coloquei minha jaqueta de couro e meus coturnos pretos, finalizei a boca com um batom vermelho. Estava pronta!

Comecei a beber cedo da noite, fui ao local de encontro – um hotel barato no centro da cidade. Dentro do quarto era iluminado pelas luzes que vinham dos letreiros das ruas. O quarto era um tanto apertado, não tinha problema. Já tínhamos bebido antes de irmos para o hotel e continuamos ao chegar lá. Tudo o que eu queria era senti-lo, precisava de seus toques.

Não era difícil se apaixonar por mim, mas quem iria me amar? Precisava me sentir amada nem que fosse por alguns minutos, instantes, nem que fosse dando um pouco de prazer a esses homens. Queria me sentir única! Desejada! Se eles vinham atrás de mim curar sua solidão e carência, por quê eu não poderia fazer o mesmo e tirar um pouco disso deles também?

Amor eu não sentia, fingia sentimentos para conseguir meu prazer. Podia sentir em seus toques e em seus beijos o desejo de me ter só para eles. Era maravilhoso. Ansiavam pelo desejo que eu os proporcionava. Me dê o que eu quero que eu lhe darei o que você gosta.

Muito estranho me satisfazer dessa forma? Me aproveitar dessa maneira? Para alguns, talvez sim. Para mim, só estou tirando proveito de uma situação para me sentir “amada”. Quem sabe eu não era realmente amada naqueles instantes de prazer…

Logo após o sexo, acendi meu cigarro e comecei a vestir minhas roupas. Senti um corpo nu se aproximando ao meu por trás, apertando meus seios, me afastei, já não era mais hora. Peguei meu dinheiro e sai fechando a porta.

O que eu quero agora é esquecer tudo isso que passou, soltei uma tragada do meu cigarro e caminhei. Dei prazer e me senti amada o suficiente naqueles minutos, então, isso já bastava para mim. Pelo menos era isso o que meu subconsciente tentava me dizer. Não sei se encontraria alguém que me entenderia, não sei se encontraria alguém que me amasse de verdade. Talvez eu não merecesse. Talvez…

Aproveitamos a oportunidade para agradecer novamente a todos os participantes e nos desculpar por qualquer eventualidade ocorrida. Aos que não venceram, o ano está só começando e em breve teremos novidades pra vocês, se Deus quiser e a Avril ajudar! Confira nossa seleção com os melhores contos enviados para o concurso clicando aqui.





1.539 views