Entrevista traduzida para o “Rock Show Critique”

04 out Entrevista traduzida para o “Rock Show Critique”

banner

No final do mês de  Setembro, Avril Lavigne concedeu uma entrevista ao site norte-americano Rock Show Critique. Confira a entrevista traduzida abaixo.

 

Rock Show Critique: Seu quinto álbum auto-intitulado será lançado em 5 de Novembro. Você pode nos dar uma visão geral do novo álbum e como você o descreveria em relação aos seus outros álbuns?

Avril Lavigne:  É muito diversificado. Existem músicas de verão, baladas, canções de rock e pop-rock. A maioria dos novos álbuns é tudo sobre fins de namoro, amor e besteiras do tipo, mas esse não é. Têm diferentes coisas acontecendo, possui muitas histórias. Existem personagens em  algumas músicas. Tem a “Hello Kitty”, outra chamada “Seventeen”, que é nostálgica. Muita coisa aconteceu comigo quando eu tinha dezessete anos, muitas lembranças. Chad e eu temos um dueto juntos, nosso primeiro dueto, chamado “Let Me Go”. É uma balada sobre a jornada do amor em sua vida. Ah, e Marilyn Manson está em uma música também [Bad Girl].

 

RSC: Eu posso ver a evolução da sua composição a cada álbum lançado, como você visualiza isso?

AL: Depende de como está minha vida, de como me sinto musicalmente e de como me sinto naquele dia.

RSC: Durante a composição, você escreve com o violão, o piano ou mistura os dois?

AL: Uma mistura de ambos. Na verdade, tem muito piano nesse álbum. Estou bem animada porque eu amo tocar piano ao vivo.

 

RSC: Com exceção de algumas apresentações fora da The Black Star Tour, turnê do seu álbum “Goodbye Lullaby”, os EUA não teve uma turnê completa como em seus álbuns anteriores. Você tem planos de fazer  uma turnê completa nos EUA dessa vez?

AL: Eu espero que sim. Em dezembro farei um monte de apresentações para as rádios dos EUA. Em 01 de fevereiro, estarei indo para a Ásia. Não temos nada planejado para depois. Sinto falta dos EUA também. Estamos fazendo alguns shows aleatoriamente. Espero fazer a turnê aqui. Agora estamos focados em videoclipes, divulgações, entrevistas, sessões de fotos e apresentações na TV.

 

RSC: Voltando sua trajetória,  há alguma música que não foi single e você gostaria que fosse? Me vem a mente: “How Does It Feel”, do Under My Skin, e “I Love You”, do Goodbye Lullaby.

AL: Obrigada. Na verdade, eu concordo com você sobre “I Love You”. Eu pensei nisso também. Essa música deveria ter sido um single. Às vezes isso acontece. Espero que não aconteça o mesmo com esse álbum. Na verdade, eu estava ouvindo “I Love You” e toquei para alguém recentemente e pensei o mesmo que você.

 

RSC: Você tem muita opinião sobre qual música será single ou isso é uma decisão da gravadora?

AL: Eles têm sido tranquilos sobre isso. Não no último álbum, mas no passado sim.

 

RSC: Seu primeiro DVD “My World” foi filmado aqui em Buffalo. Como foi que tudo aconteceu e porque Buffalo foi escolhida?

AL: Eu não sei (risos). Eu era muito jovem, não me lembro. É um ótimo lugar e foi há muito tempo atrás. Quando vejo o DVD, eu fico: “ai, meu Deus!” (risos de novo)! Minha primeira turnê foi um verdadeiro desafio para mim, porque era o começo de tudo e eu só tinha um álbum para tocar. Agora eu tenho vários álbuns, posso tocar todos os meus singles da carreira que formam a maior parte da setlist, deixando-a muito mais forte. Aprendi muito sobre ser uma performer.

 

RSC: Isso me leva à minha próxima pergunta. Você tenta manter a  setlist padronizada para todos os shows ou você gosta de variar um pouco?

AL: Eu praticamente  mantenho para todos os shows quando descubro exatamente o que eu quero. Nós trabalhamos muito na iluminação, nas introduções e, se eu tiver, nos dançarinos. Então, quando começamos a turnê, nós mantemos a setlist.

 

RSC: Como você decide quais músicas tocar ao vivo? Você escolhe apenas os singles ou você tenta tocar ótimas músicas, como por exemplo “Tomorrow”, de vez em quando?

AL: É importante tocar todos os singles porque as pessoas os conhecem. Eles são bem fortes e divertidos ao vivo. Mas eu escolho minhas músicas favoritas e as coloco em diferentes partes do show. Têm partes mais agitadas e partes mais calmas.

 

RSC: Você parece sempre estar ocupada:  compondo, gravando, em turnê, desenhando roupas e, até mesmo, se casando. Qual é o próximo passo? Existem outros objetivos ou conquistas pela frente?

AL: Eu gostaria de atuar. Adoraria estar em um filme e me divertir na TV. Eu gostaria de continuar fazendo música e adoraria fazer um disco de Natal.





371 views