“Pensei que ia morrer”: Avril Lavigne fala pela primeira vez sobre seus problemas de saúde para a revista People

07 abr “Pensei que ia morrer”: Avril Lavigne fala pela primeira vez sobre seus problemas de saúde para a revista People

Após quatro meses no escuro – desde que Avril Lavigne anunciou estar enfrentando problemas de saúde -, a canadense finalmente falou abertamente sobre a doença que a fez se distanciar dos holofotes por um bom tempo. A cantora concedeu uma entrevista exclusiva para a edição de Abril da revista People revelando, pela primeira vez, que foi diagnosticada com a doença de Lyme, muito comum na América do Norte e na Europa, a qual a deixou de cama por cinco meses. Transmitida por carrapatos, a doença causa sintomas de forte gripe, inchaço, fadiga, náusea, dor nas articulações e entre outros sintomas. Avril conta que começou a perceber os primeiros sintomas em Abril do ano passado, mas só foi diagnosticada com Lyme apenas em Outubro do mesmo ano.

80% recuperada, Lavigne diz que está pronta para seguir com a sua vida, isso inclui o lançamento do single Fly, previsto para ainda esse mês. Leia a entrevista completa:

Em uma manhã fria de Março nas florestas canadenses, Avril Lavigne coloca as pernas sobre ela e se acomoda no sofá roxo gigante em sua sala de estar, enquanto os hectares de pinheiros e bétulas do lado de fora reunem uma leve camada de neve. Nos últimos cinco meses, a popstar de 30 anos, tem se escondido no seu isolado refúgio, em Ontario, que ela compartilha com o marido Chad Kroeger, lutando para recuperar sua saúde, enquanto surgiam especulações sobre o porquê de seu desaparecimento. Agora, Lavigne está finalmente pronta para explicar porque ela desapareceu: na primavera passada, uma picada de carrapato lhe deu um caso grave da doença de Lyme, que a deixou de cama e desesperada por respostas. Às vezes, “Eu me sentia como se eu não pudesse respirar, eu não podia falar e eu não podia me mover”, diz Lavigne à People. “Eu pensei que estava morrendo.”

Percebendo que havia algo errado

Em Abril do ano passado, quando ela estava em turnê, Lavigne começou a se sentir mal. “Era dia 11 de abril e eu me lembro de acordar encharcada e com febre”, ela diz. Partindo do princípio de que tinha a gripe, ela tomou remédio para resfriado, mas seus sintomas pioraram. “Eu tinha fraqueza total e fadiga. Uma noite eu tentei escovar os dentes no ônibus da turnê e não conseguia nem ficar de pé.” Ela procurou a ajuda do médico que indicou desidratação e exaustão devido a turnê. “Eu estava como, ‘não’”, diz a cantora canadense que tem trabalhado sem parar desde o seu primeiro álbum platina, Let Go, em 2002, quando ela tinha apenas 17 anos. “Eu venho fazendo isso há tanto tempo e eu nunca me senti assim antes.” Após sua última aparição em público, Setembro de 2014, ela tentou comemorar com amigos seu aniversário de 30 anos, em Las Vegas. “Foi terrível,” ela relembra. “Eu não conseguia comer e quando fomos para a piscina, eu tive que sair e ir deitar na cama”, ela contou à People. “Meus amigos perguntaram: ‘O que há de errado?’ Eu não sabia.”

A condição de Lavigne piorou – ela não conseguia se livrar da letargia e tontura; seu corpo doía cada vez mais e, uma vez estrela-energética, logo ela percebeu que era uma luta simplesmente para se movimentar.

Enfim, dois amigos que estavam familiarizados com a doença de Lyme sugeriu que ela poderia ter contraído a doença transmitida por carrapatos. Mas a conseguir um diagnóstico certo não foi fácil. “Eu tive que lutar”, diz Lavigne. “Eu tive médicos me dizendo que eu estava louca, mas eles não queriam me provar. Tive que aprender sobre isso completamente sozinha”, fazendo pesquisas na Internet. Depois de vários meses – e um punhado de visitas em salas de emergência e consultas com vários médicos – a sua suspeita foi confirmada quando ela foi avaliada por um especialista da doença. “As pessoas realmente não falam sobre a doença e a ajuda pode ser minúscula”, diz Lavigne. “Eu não tenho nenhuma ideia onde eu consegui a picada do carrapato … Isso mudou a minha vida completamente.”

Encontrando um refúgio do mundo

Desde Outubro, Lavigne raramente deixou sua casa enquanto lutou com a doença. Para manter o alto astral, ela se apoiou na família, assistiu filmes e manteve contato com os fãs por meio de mídias sociais. “Eu nunca tive depressão, mas estar doente e tão aterrorizada com isso é deprimente,” diz Lavigne. “Eu tive medo pela minha vida. Houveram vezes em que eu não podia tomar banho por uma semana inteira porque mal podia ficar em pé”, diz ela. “Parecia como se a sua vida estivesse sendo sugada para fora de você.”

Para a cura, ela usou vários antibióticos e reformulou seu estilo de vida. “Minha dieta é livre de açúcar, produtos lácteos, glúten, tudo orgânico. Tomo suco três vezes por dia,” disse ela, que estima estar 80% recuperada. “Eu faço yoga, medito, tento nadar ou andar todos os dias. É uma montanha russa – você melhora, e então depois piora e depois melhora.”

A experiência a aproximou de sua mãe: Judy ficou na casa da filha cuidando dela por meses. Enquanto isso, Chad Kroeger, 40, no meio de uma turnê mundial com sua banda Nickelback, a visita quando é possível. “Ele tem sido muito solidário,” ela fala, despistando todos os rumores de divórcio. Seus fãs estavam lá por ela também nos maus momentos. “Eu passei muito tempo no celular e estive muito no Twitter. Eles estavam perguntando sobre mim desde que eu estive sumida, então eu conversei diretamente com um fã dizendo que eu não estava me sentindo bem”, diz Lavigne, fazendo referência a uma dm no Twitter, em Dezembro do ano passado. “As mensagens e vídeos de melhoras que eles enviaram me tocou profundamente. Os assisti deitada na cama e chorei muito porque me senti amada. Foi poderoso e belo.”

Recuperando a vida

No fim, Lavigne diz que é grata pela “pior coisa” que ela já enfrentou. “Eu nunca tive esse tanto de tempo livre na minha vida,” ela conta. “E nunca estive mais clara sobre o que eu quero na minha vida: saúde, família, amor e felicidade.” Enquanto Chad e Avril continuam guardando segredo sobre a possibilidade de aumentarem a família (“Nós dois queremos filhos, nós só precisamos encontrar um tempo em que nós dois estejamos em casa.” Kroeger para a People Magazine, em 2013), a cantora encontrou uma nova causa: aumentar a conscientização sobre a doença de Lyme. Ela também está ansiosa para recomeçar sua carreira, embora em um ritmo mais saudável. “Isso foi como um tapa na cara,” diz Avril. Seu primeiro projeto é o single Fly a ser lançado nesse mês em apoio a Special Olympics. “Saber que eu tenho a música para ser lançada e que meus fãs estavam a esperando ajudou a me manter viva durante alguns dos meus tempos mais sombrios.” Lavigne também espera, algum dia, gravar um álbum natalino e atuar em um filme. “Mal posso esperar para experimentar a vida novamente. Nos meus tempos sombrios disse para mim mesma: agora você é apenas um casulo. Quando a primavera chegar você estará pronta para voar.”

Você pode conferir as scans originais, bem como a entrevista em inglês e as fotos inéditas do ensaio da cantora para a revista em nossa galeria, clique nas miniaturas abaixo:





3.748 views